Colorismo

q5970MEynqM2nydz1wnO81596158469

Qual é a sua cor, Shirlei? Enfim, chegou minha vez de responder à pergunta depois que alguns estudantes já haviam sido interrogados pela professora de História Maria Lúcia, Eu falei toda orgulhosa: “sou mulata!”. No Ensino Médio no início dos anos de 1990 os debates sobre a questão negra já começavam a emergir e óbvio que dentro da área de História as análises fervilhavam na busca da narrativa preta apagada dos livros livros didáticos. Foi naquele dia que aprendi que mulata é um termo pejorativo, pois etimologicamente vem de mula. Essa referência de hibrida da mistura entre brancos e pretos com termos que animalizam a etnia são considerados racistas. “Você é negra!” Sim, sou negra, não café com leite, não, chocolate, não escurinha, não jambo, eu sou negra. Qualquer tentativa de eufemismo com o termo é uma forma de afastar o preto de sua ancestralidade e aproximá-lo da branquitude e de todos os privilégios que a sociedade dá de passabilidade para pessoas que afastam de sua origem africana.
#glossário #racismo #colorismo #racismoestrutural

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s