Arquivo | Uncategorized RSS feed for this section

2013 in review

31 dez

The WordPress.com stats helper monkeys prepared a 2013 annual report for this blog.

Here’s an excerpt:

A New York City subway train holds 1,200 people. This blog was viewed about 7,500 times in 2013. If it were a NYC subway train, it would take about 6 trips to carry that many people.

Click here to see the complete report.

Anúncios

Os números de 2011

1 jan

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um bonde de São Francisco leva 60 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 2.200 vezes em 2011. Se fosse um bonde, eram precisas 37 viagens para as transportar.

Clique aqui para ver o relatório completo

 

O ano está acabando, mas em 2012 tem muito mais!

Feliz ano novo!

Wikis e seu uso pedagógico

14 jul

Depois de um tempinho de reclusão estou de volta  ao blog com duas novidades:

  1. A EMEF Abrão de Moraes irá fundar dia 29/09 sua Academial estudantil de letras Luis Fernando Verissimo.
  2. A partir de 18/07 começo oficilamente a me dedicar ao ensino de português para estrangeiros.

Estou tentando entrar em contato com o escritor Luis Fernando Verissimo para comunicá-lo sobre o evento, mas achar uma pista sequer para falar com ele está osso, rs. Tenho certeza que vai aparecer uma luz e ele virá receber a homenagem pessoalmente.

A Ael tem sido o melhor trabalho que tenho feito na EMEF. Trabalhar a leitura é trabalhar a libertação do homem. Dentro da escola há diamantes verdadeiros  entre vários falsos brilhantes e estou eu lá agora com a professora Magda num trabalho de garimpeiro. Seguro em cofre 20 alunos que não podem se perder.

Para o segundo semestre é focar o dia de fundação.

Apesar de ainda ter gente incrédula e desconfiando da minha capacidade (porque eu sou meio porralouca)  e da realização do projeto dentro da escola tenho percebido que cada vez mais os alunos estão melhorando na sua postura enquanto seres humanos,  a compreensão de texto e a expressão e leitura oral.

Dei uma aula sobre conotação e denotação e utilizei a música Dois Rios-Skank. Lá fui eu com meu violão…

Teve uma professora que ironicamente perguntou: “vai ensinar, o quê?” “será que eles aprendem?”… Tem gente que substima a capacidade dos bichinhos, ochê!

Foi mamão com açúcar. tsc tsc tsc

Sobre o ensino de português como língua estrangeira temos muito ainda que falar a esse respeito aqui no blog. A área é recente, há poucas pesquisas a respeito e a demanda por profissionais tem crescido absurdamente nos últimos anos. Principalmente agora que temos no Brasil mais de 10.000 empregados vindos do exterior trabalhando para suprir a mão de obra qualificada de alto padrão: engenheiros em sua maioria.

Eles vêm para ficar curtos períodos, às vezes, trazem a família e precisam se virar no cotidiano. Treinam funcionários, pegam suas malas e voltam para seus países de origem.

Eu me enveredei para esse campo este ano e tenho um aluno americano. Agora vou me firmar nesta área que tende a ser muito promissora: copa, olimpíadas…

Há poucas universidades dentro do país que trabalham com esse tema as principais são: Universidade de Brasília, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, PUC-RJ. Existem outras, mas as pesquisas estão concentradas nestas citadas. Aqui em São Paulo, mesmo, não tem nada a respeito, nem pós, nem extensão, somente algumas disciplinas em cursos de graduação ou pós como eu encontrei na USP, por exemplo.

A partir da semana que vem vou fazer parte da equipe de professores da Companhia de Idiomas e já iniciei um curso EAD pela Somática Educar para formação de professores de português como língua estrangeira. Tenho lido vários textos a respeito, mas é sempre bom fazer algo específico. Quer crescer como profissional? Então, ESTUDE, RECICLE-SE, RENOVE-SE, INOVE!

Tem uma música que diz: QUEM TÁ PARADO É ………… lesado………vou mudar aqui porque em tempos de homofobia vão dizer por aí que sou homofóbica.  A questão é que não se pode parar, pedras que rolam não criam limbo.

Ah, e falando em pedras  hoje é o Dia Mundial do Rock(13/07)….Salve! Salve! e pra quem não sabe o Rock n’ Roll é uma mistura de Country e R&B (rhythm and blues), inventado e aperfeiçoado por Little Richard, Jerry Lee Lewis, Bill Haley e Chuck Berry. Rock n’ Roll é coisa de preto! É Rock n’ Roll na veia! Salve os pretos criadores do rock. It’s only rock n’ roll but I like it – Rolling Stones

Pra finalizar que é muita informação pra um post só, mas depois eu vou detalhando com o tempo, terminei minha extensão na PUC- Teacher’s Link e minha monografia foi sobre o uso do computador nas aulas de inglês. Muitas leituras, muitas pesquisas, adorei o tema. Agora estou em mais um curso EAD oferecido pela USP- Mídias na Educação. É interessante como o astral trabalha em sintonia…

Minha irmã sempre que lê algo relacioando a essa temática me manda mensagens via twiter ou e-mail. Essa eu achei interessantíssima e compartilho com vocês.

Uso dos wikis como ferramenta pedagógica.

Os wikis (como wikédia) é menos utilizado que o blog, mas é uma ferramenta editável por qualquer grupo de participantes. Dessa maneira, textos podem ser escritos e revisados coletivamente. O autor do blog é o Bruno graduado em Marking e ele é do Espírito Santo. Muito boa e pertinentes suas observações pedágógicas a cerca do uso dos wikis.

Como sou professora de português me veio a ideia de elaboração de textos coletivos em que cada aluno ou grupo de alunos ficasse responsável por elaborar uma parte do texto, ou sub temas, mesmo dividindo em introdução, resumo (abstract), corpo do trabalho (em suas partes), conclusão. Mais ou menos como um trabalho acadêmico. E eu lá só dando dos toques até a finalização. Seria muito dez! Para saber mais:Wikis como ferramenta educacional.

E aí galera, amigos da educação e simpatizantes!

27 jul

E aí galera, amigos da educação, gente que faz, blz?

Vou iniciar meu blog pra falar um pouco do cotidiano de uma professora em escola pública. Não só pra falar das minhas angústias enquanto profissional do ensino, mas também e principalmente, para fazer o registro das atividades desenvolvidas.

Tenho certeza que as informações que colocar aqui serão de extrema valia para analisar minha atuação profissional, bem como vai ajudar muitos outros professores também.

E como eu começo todas as aulas…”atenção à chamada! Present, here ou I am here.”

Reuniões pedagógicas

27 jul

Todo começo de semestre as mesmas coisas: reunião pedagógica e discussões.

Na escola em que estou as discussões são muito intensas e os confrontos de ideias fazem com que possamos refletir bastante enquanto profissionais atuantes.

Certo que tem gente que mais escuta do que fala, tem gente que dorme, até tira os sapatos, mas essas reuniões têm sido muito produtivas e no final das contas os benefíciados são os alunos.

Na reunião acontecida ontem, tivemos a presença de um diretor de uma escola da região. Ele foi nos mostrar como são calculados os índices do IDESP.

O seu discurso, cheio de contradições entre reflexão e ação efetiva, mostraram que ele certamente tem um domínio muito grande dos trâmites legais, pedagógicos e burocráticos da rede estadual de ensino paulista, porém deixou transparecer uma personalidade um tanto exibicionista e convencionalista. Uma pessoa carismática e diplomática que sabe muito bem articular as palavras para agradar a tdos.

Peo menos agora a gente sabe muito bem o que o nosso governo quer.

A conta é a seguinte: aqueles alunos abaixo da média x 3 +satisfatório x 2 + adequado x 1 + avançado x 0/100….. isso dai menos a taxa de fluxo, que é a quantidade de repetentes e evadidos da escola, vai nos dar o IDESP. Não adianta ter gente no avançado, pois elas não contam em nada pro indice. E também não adianta nada ter ótima nota de prova, mas reprovar pra caramba (caso da minha escola), pois a nota do IDESP cai consideravelmente.

Certo, agora que entendemos essa matemática doida, vamos ver como damos conta da aprendizagem desses alunos.

Depois de mais de duas horas com a bunda pregada na cadeira o povo precisava de um descanso e nossa diretora mostrou-nos a pauta que seria discutida depois do café.

Professor é uma raça morta de fome só consegue pensar de barriga cheia, então fomos ao café.

Eu fui obrigada a ir em casa colocar um blusa e meia, pois estava esfriando e minha roupa já não estava apropriada pra temperatura. Fora que estava com uma calça de cintura baixa e que quando sentava deixava a mostra o reguinho da bunda. O povo não perdoa e já estavam quase jogando moeda no meu cofrinho. Até que mudei pra uma cadeira com encosto fechado.

O que se deu depois do café foi uma reorganização de ações, com enfoque para a recuperação paralela que é feita com os alunos que passaram só por causa da progressão continuada. Estipulamos que entregaríamos atividades bimestralmente aos pais que seriam convocados toda segunda semana do mês para acompanharem o trabalho pedagógico realizado com seus filhos.

Essa recuperação paralela só tem surtido efeito em poucos alunos. Só eu que tenho quase todas as sextas séries de inglês da escola dos 60 alunos que deveriam fazer tenho 10% deles entregando as atividades. Os outros mal dão conta do que é passado em sala de aula, infelizmente, não conseguem acompanhar o ritmo da série seguinte, fora os próprios responsáveis que não estimulam e insentivam uma participação maior deles em sala de aula.

Agora quanto os trabalho coletivos:

Foi simplismente um fiasco separar por área para que eles sejam apresentados nas reuniões de pais. O segundo bimestre ficou a cargo da área de linguagens, códigos e suas tecnologias e o tema era sexualidade.

Poucos professores da área se envolveram, outros fizeram apenas trabalhos em sala de aula. Outros deram uma de jõao sem braço e deixaram passar mesmo. Tem uns que nem ficaram sabendo, pois não fazem htpc e também não participaram do planejamento.

Eu sempre sou muito atuante nesses tipos de atividade, então me engajei para poder apresentar algo. Trabalhei com minha 8E artigos publicitários em inglês e sairam coisas boas, também tive ajuda da professora de artes. Com os terceiros anos do noturno nós trabalhamos a sexualidade vista nos diversos gêneros: quadrinhos, propaganda televisiva, impressa, nas músicas, nos contos de fadas. Sairam seminários excelentes, porém com exceção de mais uma professora de português do ensino fundamental nenhum outro professor apresentou nada na reunião dos pais.

Chegamos a conclusão de que não funciona, que poucos se envolvem e por ser um grupo menor os “buracos”, como eu mesma disse neste replanejamento, ficam muito mais evidentes.

Após uma reflexão sobre o assunto optamos por voltar a fazer o MPB, que é um projeto maravilhoso, a cara da escola. Pesquisa de compositores e estudo de letra de música inseridos dentro de um contexto histórico cultural com apresentação artística delas pelos alunos. Não chega a ser uma competição, mas os alunos são excelentes em suas perfomances, dão show.

Ficaram definidos dois temas: a era dos festivais e músicas regionais.

Outro ponto de intensa discussão foi o provão e os critérios de elaboração e aplicação das provas.

Ficou acertado de haver capacitação nos hptcs para que haja uniformidade e critérios que devem obedecer mais ou menos ao que se pede no SARESP 15% de questões fáceis, 70% de médias e 15% de difíceis.

Viche, estou sendo muito detalhista, talvez tenha que colocar mais como as pessoas reagem e se sentem. No entanto, é preciso mostrar o que se é debatido dentro dessas reuniões. Não é fácil pra uma pessoa hiperativa como eu ficar sentada das 2 horas da tarde às 9 da noite. Eu aciono um mecânismo de abstração: parece que fico lá do alto observando o que acontece de longe. Delá vejo uma professora tentando dar conta de configurar o celular, umas outras conversando sobre o tratamento estético, mas lá atrás tem um profefessor dormindo. Um sussurra para o outro um comentário maldoso, que eu tenho que ser sincera, tem coisas que eu  mesma não aguento. Como o tal diretor que no final da sua explanação terminou falando sobre evolução, passando mensagens, mas bem desconexas. Eu não me segurei….aquela figura a la Jonny Bravo estava recebendo Clodovil.

Deixo aqui minha homenagem ao saudoso Clô extravagante, irreverente, contundente, com esse seu primeiro discursso na Câmara de Deputados em Brasília, 2007

“Digo aos senhores que a única coisa de que tenho medo – já me fizeram muito medo aqui, como estrangeiro que sou nesta Casa – é da expressão ‘decoro parlamentar’. Eu não sei o que é decoro, com um barulho destes enquanto um deputado fala. Eu não sei o que é decoro, porque aqui parece um mercado! Nós representamos o país! Não entendo por que há tanto barulho enquanto um orador está falando. Nem na televisão, que é popular, fazem isso.”

Agora é a hora boa!

20 jul
A gente vive se perguntado, quando as coisas vão acontecer, não é mesmo?
 
Aquela ansiedade bate…vai dar certo? não vai dar? Ele vem? Vai telefonar? Vamos ficar juntos? Vai acabar?
 
Sai pensamento pessimista pra lá! A hora boa é agora… e não vem você me dizer que nunca sai do seu jeito…sempre sai porque você não sedá a oportunidade de atrair as coisas boas pra si. Fica sempre esperando a hora certa, o momento certo, a pessoa certa e vai deixando escapar as boas oportunidades que a vida te coloca à frente.
 
Deixa de comprar, de ir porque não é sexta, deixa de vestir a roupa porque não é o baile e vai deixando esperando a hora…
 
Acorda a hora é agora!
 
Você pensa, você cria, você age! Então pra que medo, vergonha? O máximo que pode acontecer é ouvir um não, mas você tentou, correu atrás, se empenhou.
 
A vida está te oferecendo ortunidades todos os dias de ser feliz, te colocando na cara as situações, as pessoas e você não enxerga fica parada esperando o quê? Pare de sonhar e viva, faça o seu momento já. Construa o seu presente para viver um futuro em paz.
 
Acorde agradecendo a tudo de bom que você já tem. E agradeça agora pelo que você conquistará.
 
Então não espere pela hora boa essa hora pode ser bem agora quando você acabar de ler esse texto.
 
 
 

Ser ingênua me deixa cada vez mais doce.

9 abr
Como a vida, às vezes, é tão complicada…
As pesoas não poderião se amar só pelo fato de existirem. Por que tanta antipatia? Tanta hipocrisia?
O normal não é nascer, crescer, se desenvolver e morrer? Mas por que será que tem gente que teima em parar na metade do caminho, pra que tornar tudo tão difícil?
 
Queria acordar e ver as pessoas ao meu redor sorridentes, lutando pra crescerem apesar de tudo, e por mais que pareça ser ruim poderem sempre recomeçar, porém fazendo diferente, ou mesmo repetindo e repetindo e repetindo até acertarem. Pode não ser hoje, pode não ser amanhã…desta vez não o será, mas você lutou, assumiu uma postura de responsabilidade perante a vida e seguiu em frente.
 
Deixe de lado esse chororô, se quer algo melhor pra si tem que batalhar…nada cai do céu não… e é dolorido, é amargo, você vai chorar, vai sofrer, mas passa.
 
Embora você tenha lutado, perseguido, batalhado deixou pra trás uma pessoa que você ama demais. Você se sentirá feliz sabendo que um companheiro seu ficou para trás?
 
Eu queria trazer comigo todos os meus companheiros pro caminho da vitória!
Eles não querem vir.
Eu choro, pois espero deles algo que eles ainda não podem dar.
É ingenuidade … imaturidade… é rosa com espinho ruim de segurar.Tendo amor é o que mais vale a pena. Vale a pena amar, vale a pena insistir, pois a colheita é certa. Você plantou, cuidou e colherá os frutos.
Quanto ao companheiro que ficou lá no pé do morro:
 
Continuo torcendo por você. Agora tenho que subir, tenho outros para ajudar e você encontrará outra alma boa no seu caminho, pois vou pedir ao Pai pra lhe enviar e certamente Ele atenderá meu pedido.
Eu mereço, né?