Tag Archives: AEL

3ª Cerimônia Anual de posse da AEL Luis Fernando Verissimo

16 jun

Foi com muita alegria e honra que convidada pelas professoras Magda e Zípora fui a mestre de cerimônia neste evento literário.

Encheu minha alma de satisfação ver que por meio da literatura aqueles meninos e meninas têm crescido dia após dia. Não tem gratificação maior para um professor do que o reconhecimento dos seus alunos.

A professora Sueli já tem sua vaga garantida no céu por ter construído e estar solidificando tão magnífica obra.Imagem

Anúncios

AEL Machado de Assis

27 nov

Guarulhos ganha primeira Academia Estudantil de Letras

Alunos da rede estadual de ensino ocupam cadeira de imortais aos moldes da Academia Brasileira de Letras.

Por Shirlei Alexandra da Cunha

No dia 23 de Novembro de 2012, a E.E Prof.ª Maria Aparecida, Guarulhos, tornou-se sede da segunda Academia Estudantil de Letras em escolas de rede estadual de ensino, AEL Machado de Assis.

Seguindo os moldes da Academia Brasileira de Letras, a professora Maria Sueli da Fonseca Gonçalves, em 2005, descobriu uma maneira lúdica de despertar o prazer pela literatura nos alunos da EMEF Pe. Antonio Vieira, localizada na zona leste da capital paulistana. A proposta chegou a Guarulhos pelas mãos da professora de língua portuguesa Shirlei Alexandra da Cunha que já desenvolve na EMEF Prof. Abrão de Moraes, também na zona leste, o projeto com os alunos de Ensino Fundamental II.

Desde abril, a professora Shirlei se reúne com os alunos duas vezes por semana para tratar de literatura nacional e internacional. Na academia estudantil, Natanael é Luis Vaz de Camões, Amanda é Ziraldo, Vanessa é Machado de Assis, Pâmela é Pedro Bandeira, Natália é Edgar Allan Poe. No total são nove acadêmicos de sexto ano do Ensino Fundamental II que escolheram qual “imortal” representar. Eles não somente leem suas obras, mas discutem, interpretam suas personagens e transportam para a própria vida aquilo que os livros mostram.

O interesse despertado pela leitura de grandes autores traz consigo o desenvolvimento de uma postura acadêmica. O hábito da disciplina do estudo desenvolve o protagonismo infanto-juvenil, estimula a criatividade e o desabrochar do potencial que cada aluno tem dentro de si.

Iniciativas que promovam a melhoria da qualidade de ensino, como as da E.E Prof.ª Maria Aparecida Rodrigues, devem ser divulgadas para que sejam ampliadas e realizadas em mais escolas da rede, assim, recebendo total apoio da Secretaria Estadual de Educação.

Vídeo

AEL Luis Fernando Verissimo no Canal Futura

30 abr

O ano de 2012 começou agitado para a academia estudantil de letras Luis Fernando Verissimo.

Contamos este ano com 3 turmas de alunos e temos duas professoras magníficas que entraram de cabeça nessa empreitada: Ângela que coordena os alunos do Fuandmental I e a professora Ederli que coordena a turma de quinta e sétima séries do Fundamental II. Eu e a professora Magda continuamos firmes levando à frente este projeto que promete ,dentro de alguns anos, ajudar a mudar a cara da EMEF Prof. Abrão de Mores.

Ficamos muito contentes em saber que a reportagem do Canal Futura foi ao ar. E foi um de nossos alunos que encontrou a reportagem fuçando na internet.

Temos que levar essa proposta da professora Maria Sueli Fonseca Gonçalves para o maior número possível de escolas. Esse projeto não trata apenas da leitura, mas sim, da consolidação de valores e posturas por meio da leitura. Através dos livros conseguimos humanizar as ações, tocando cada um dos participantes. Assim, levamos paz para dentro do ambiente escolar e melhoramos as relações interpessoais.

EMEF Prof. Abrão de Moraes

Fundação da AEL Luis Fernando Verissimo

2 nov

A Fundação da AEL Luis Fernando Verissimo foi um sucesso. Os acadêmicos e membros correspondentes da EMEF Abrão de Moraes mostraram que literatura não é só para gente grande e demostraram maturidade na apresentação de seus autores na solenidade de posse.

Leia abaixo a introdução feita pela mestre de cerimônias prof.ª Ioná:

A AEL (academia estudantil de letras) foi um sonho que saiu da sala de aula da professora Sueli da EMEF Padre Antônio Vieira situada na zona leste da capital paulistana e tornou-se um projeto da Secretaria Municipal de Ensino.

O estímulo à leitura e o resgate de valores morais como solidariedade, respeito mútuo, amor e paz dão a direção deste trabalho. Atualmente tem sido realizado em mais de 17 escolas da diretoria regional de ensino e também já se expandiu para outros estados brasileiros.

“Um sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade”

Raul Seixas

O sonho chegou até a EMEF Prof. Abrão de Moraes e se deparou com uma realidade não muito otimista e um terreno não muito fértil.  Apesar das dificuldades de início, a escola conta com profissionais experientes e capacitados, que acreditam numa escola pública de qualidade.

Resgatar o prazer da leitura dentro de um meio rodeado de brinquedos eletrônicos, aparelhos celulares e computares tem sido uma tarefa árdua para os educadores. Estes profissionais competem todos os dias contra o mundo digital tentando mostrar que os prazeres que estes objetos dão só duram até a próxima compra, fazendo do indivíduo um escravo do consumo, e que o conhecimento, ao contrário, nos torna pessoas com poder: livres para escolhermos, livres para agirmos, humildes para reconhecermos nossa própria ignorância em não saber.

Pensando em atrair os jovens para o mundo das letras, a AEL Luis Fernando Verissimo tem como tema “música e literatura: união perfeita”. Esta relação que vem desde a antiguidade começou com as poesias e trovas.  Aparecem, agora, repaginadas em canções populares e em alguns refrões de raps, reggaes e rocks.

E é neste clima que damos início a esta cerimônia agradecendo à presença dos alunos, seus pais e responsáveis e do corpo gestor da EMEF Prof. Abrão de Moraes.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nossos alunos continuam firmes levando o espírito da AEL a diante.

É por meio de iniciativas como estas que as escolas possibilitam a quebra de paradigmas e dizem não ao determinismo social instituído sobre o ensino público e os alunos da periferia.

O próximo passo é a consolidação da turma para que a adesão seja maior e que mais professores se comprometam com essa atividade tão prazerosa.

Wikis e seu uso pedagógico

14 jul

Depois de um tempinho de reclusão estou de volta  ao blog com duas novidades:

  1. A EMEF Abrão de Moraes irá fundar dia 29/09 sua Academial estudantil de letras Luis Fernando Verissimo.
  2. A partir de 18/07 começo oficilamente a me dedicar ao ensino de português para estrangeiros.

Estou tentando entrar em contato com o escritor Luis Fernando Verissimo para comunicá-lo sobre o evento, mas achar uma pista sequer para falar com ele está osso, rs. Tenho certeza que vai aparecer uma luz e ele virá receber a homenagem pessoalmente.

A Ael tem sido o melhor trabalho que tenho feito na EMEF. Trabalhar a leitura é trabalhar a libertação do homem. Dentro da escola há diamantes verdadeiros  entre vários falsos brilhantes e estou eu lá agora com a professora Magda num trabalho de garimpeiro. Seguro em cofre 20 alunos que não podem se perder.

Para o segundo semestre é focar o dia de fundação.

Apesar de ainda ter gente incrédula e desconfiando da minha capacidade (porque eu sou meio porralouca)  e da realização do projeto dentro da escola tenho percebido que cada vez mais os alunos estão melhorando na sua postura enquanto seres humanos,  a compreensão de texto e a expressão e leitura oral.

Dei uma aula sobre conotação e denotação e utilizei a música Dois Rios-Skank. Lá fui eu com meu violão…

Teve uma professora que ironicamente perguntou: “vai ensinar, o quê?” “será que eles aprendem?”… Tem gente que substima a capacidade dos bichinhos, ochê!

Foi mamão com açúcar. tsc tsc tsc

Sobre o ensino de português como língua estrangeira temos muito ainda que falar a esse respeito aqui no blog. A área é recente, há poucas pesquisas a respeito e a demanda por profissionais tem crescido absurdamente nos últimos anos. Principalmente agora que temos no Brasil mais de 10.000 empregados vindos do exterior trabalhando para suprir a mão de obra qualificada de alto padrão: engenheiros em sua maioria.

Eles vêm para ficar curtos períodos, às vezes, trazem a família e precisam se virar no cotidiano. Treinam funcionários, pegam suas malas e voltam para seus países de origem.

Eu me enveredei para esse campo este ano e tenho um aluno americano. Agora vou me firmar nesta área que tende a ser muito promissora: copa, olimpíadas…

Há poucas universidades dentro do país que trabalham com esse tema as principais são: Universidade de Brasília, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, PUC-RJ. Existem outras, mas as pesquisas estão concentradas nestas citadas. Aqui em São Paulo, mesmo, não tem nada a respeito, nem pós, nem extensão, somente algumas disciplinas em cursos de graduação ou pós como eu encontrei na USP, por exemplo.

A partir da semana que vem vou fazer parte da equipe de professores da Companhia de Idiomas e já iniciei um curso EAD pela Somática Educar para formação de professores de português como língua estrangeira. Tenho lido vários textos a respeito, mas é sempre bom fazer algo específico. Quer crescer como profissional? Então, ESTUDE, RECICLE-SE, RENOVE-SE, INOVE!

Tem uma música que diz: QUEM TÁ PARADO É ………… lesado………vou mudar aqui porque em tempos de homofobia vão dizer por aí que sou homofóbica.  A questão é que não se pode parar, pedras que rolam não criam limbo.

Ah, e falando em pedras  hoje é o Dia Mundial do Rock(13/07)….Salve! Salve! e pra quem não sabe o Rock n’ Roll é uma mistura de Country e R&B (rhythm and blues), inventado e aperfeiçoado por Little Richard, Jerry Lee Lewis, Bill Haley e Chuck Berry. Rock n’ Roll é coisa de preto! É Rock n’ Roll na veia! Salve os pretos criadores do rock. It’s only rock n’ roll but I like it – Rolling Stones

Pra finalizar que é muita informação pra um post só, mas depois eu vou detalhando com o tempo, terminei minha extensão na PUC- Teacher’s Link e minha monografia foi sobre o uso do computador nas aulas de inglês. Muitas leituras, muitas pesquisas, adorei o tema. Agora estou em mais um curso EAD oferecido pela USP- Mídias na Educação. É interessante como o astral trabalha em sintonia…

Minha irmã sempre que lê algo relacioando a essa temática me manda mensagens via twiter ou e-mail. Essa eu achei interessantíssima e compartilho com vocês.

Uso dos wikis como ferramenta pedagógica.

Os wikis (como wikédia) é menos utilizado que o blog, mas é uma ferramenta editável por qualquer grupo de participantes. Dessa maneira, textos podem ser escritos e revisados coletivamente. O autor do blog é o Bruno graduado em Marking e ele é do Espírito Santo. Muito boa e pertinentes suas observações pedágógicas a cerca do uso dos wikis.

Como sou professora de português me veio a ideia de elaboração de textos coletivos em que cada aluno ou grupo de alunos ficasse responsável por elaborar uma parte do texto, ou sub temas, mesmo dividindo em introdução, resumo (abstract), corpo do trabalho (em suas partes), conclusão. Mais ou menos como um trabalho acadêmico. E eu lá só dando dos toques até a finalização. Seria muito dez! Para saber mais:Wikis como ferramenta educacional.

Um edifício começa com a fundação – AEL

7 maio

Símbolo da Academia estudantil de LetrasA AEL (academia estudantil de letras) foi um sonho que saiu da sala de aula da professora Sueli da EMEF Padre Antônio Vieira da zona leste da capital paulistana e virou um projeto da Secretaria Municipal de Ensino.

O estímulo à leitura e o resgate de valores morais como solidariedade, respeito mútuo, amor e paz dão a direção deste projeto que hoje já é realizado em mais de 17 escolas da DRE Penha, se expandiu para as outras DRE e também chegou a outros estados brasileiros.

“Um sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade”

Raul Seixas

O sonho chegou até a EMEF Profº Abrão de Moraes e deu cara com uma realidade não muito otimista e um terreno não muito fértil.  Apesar das dificuldades de início, há lavradores experientes e algumas pérolas entre os estudantes.

É sob este contexto que volto a escrever no blog depois de um grande espaço de tempo.

Quero compartilhar aqui mais uma experiência, que não é direcionada somente a professores de português, mas sim a todos os amantes de literatura.

O primeiro encontro da AEL Abrão de Moraes ocorreu no dia 29/04/2011. Foi o início de um namoro em que o clima, as primeiras impressões encantariam ou afugentariam os aspirantes acadêmicos.

Pedi para que a Sueli estivesse presente para que pudesse explicar aos alunos, um grupo de 5 crianças da 7ªB, o que era a AEL e o que os esperavam. Até para mim mesma, esta explanação já clareou muito, principalmente sobre o meu papel como orientadora literária.

Coloquei um vestido de vampira e amarrei uma echarpe na cintura, nos cabelos usei uma coifa*. Estava improvisada uma nobre medieval.

Expliquei a eles que na Idade Média os livros eram proibidos, sendo reservados somente ao clero e alguns poucos membros da nobreza. A minha roupa se remetia àquele tempo e pela leitura seria possível eles conhecerem e se apropriarem da cultura de diferentes povos e nações em diferentes épocas históricas.

Para encerrar, disse-lhes que muitos textos que andam circulando hoje são apenas cópias ou são inspirados em mestres do passado. Quando era adolescente muita gente pensava que a música Monte Castelo do Legião Urbana era composição do Renato Russo. Na verdade, a canção une o soneto de Camões “Amor é fogo que arde sem se ver” e um trecho da bíblia Corintíos I.

Assim que peguei o violão e toquei a canção dentro daquela biblioteca, vi nos olhos daqueles 5 adolescentes e mesmo da coordenadora e da própria Sueli um brilho enternecedor. Foi então que me reconheci novamente. Estava voltando ao caminho que o sistema prefeitura de ensino estava querendo me desviar.

Começa agora o planejamento para a fundação da mais nova AEL da DRE Penha que terá como patrono o irrevente escritor Luís Fernando Veríssimo.

Para mais informações consultem o blog da Sueli click aqui